É POTÁVEL? Fev 14, 2020 Crédito: Eduardo Wachholtz / RVA

Coloração da água preocupa moradores de Venâncio Aires

Mudança na coloração ocorre por conta da formação de microalgas no Arroio Castelhano

- Foto: Divulgação/Ouvinte RVA

Diversos moradores de Venâncio Aires estão preocupados com a água que chega nos chuveiros e nas torneiras nos últimos dias. Segundo eles, o líquido está com aspecto amarelado. Em contato com a reportagem, colaboradores da Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan) explicaram que a água fornecida atende os padrões exigidos e não oferece risco à população.

De acordo com as informações, a mudança na coloração ocorre por conta da formação de microalgas no Arroio Castelhano, principal fonte de captação na cidade. A baixa vazão em alguns locais que estão tomados por galhos, areia e lixo, a estiagem, e a utilização de água acima da média no período estão entre as causas apontadas como possíveis causadoras do problema.

Segundo a Corsan, quando chega na Estação de Tratamento de Água (ETA), o líquido é incolor. Todavia, por conta de reações químicas na rede hídrica, a coloração muda e se torna amarelada antes de chegar nas residências. Registros fotográficos realizados por consumidores circulam pelas redes sociais e deixam os consumidores receosos.

Para resolver o problema, desde a terça-feira, 11, está sendo utilizado o carvão ativado no processo de tratamento. O produto não representa risco à saúde dos consumidores e promete eliminar a presença de algas e seus efeitos. Inclusive, a substância está sendo utilizada pela Companhia de Águas e Esgotos do Estado (Cedae), no Rio de Janeiro. Em alguns pontos do estado, moradores relatam cheiro forte e turbidez na água distribuída nas últimas semanas.

Além da mudança na forma de tratamento, outras ações estão sendo realizadas. Colaboradores do escritório local da Corsan entraram em contato com os arrozeiros do município e, desde então, foi interrompida a retirada de água para as lavouras. Máquinas da Prefeitura também trabalham na limpeza de um trecho de 300 metros do arroio, nas proximidades do ponto da RSC-453. A expectativa é que as ações deem aumentem a vazão e diminuam a proliferação de algas.

As pessoas que se sentirem prejudicas com o abastecimento podem solicitar o expurgo, que é o procedimento para limpeza da rede, ou ressarcimento. Informações podem ser buscadas na Corsan de Venâncio Aires ou através do telefone 0800 646 6444. Entretanto, para buscar a devolução de valores, é necessário entrar com um processo administrativo e comprovar o prejuízo ou dano sofrido.

Parte da cidade sem água

Outro ponto que prejudica o abastecimento nos bairros Coronel Brito, Cidade Alta, Centro e Sol Nascente é o rompimento de uma adutora, que fica no cruzamento das ruas Tiradentes e Marechal Floriano. A coloração marrom é causada por partículas de ferro e manganês. O material ficou incrustado nas tubulações antigas e o trabalho realizado fez com que partículas se soltassem e caíssem na água.

 

 

 

c