VENÂNCIO AIRES Mai 24, 2019 Crédito: Eduardo Wachholtz / RVA

Polícia Civil encerra investigações sobre caso envolvendo agência de viagens que deixou mais de R$ 100 mil em prejuízos

Pelo menos 15 pessoas procuraram a Delegacia para fazer registros e prejuízos chegam a R$ 103 mil

- Foto: Eduardo Wachholtz / RVA

A Polícia Civil de Venâncio Aires encerra nesta sexta-feira, 24, as investigações do caso que envolveu uma agência de viagens no município. Os prejuízos chegam a R$ 103.306,68. Desde a semana passada, 15 pessoas procuraram a Delegacia de Polícia para fazer registros contra a empresa.

Segundo o delegado Felipe Staub Cano, as investigações iniciaram na semana passada quando esse grande número de pessoas procurou o órgão, informando que haviam contratado viagens e pacotes com a empresa de turismo, que teria fechado as portas, sem dar satisfações. Os relatos foram os mais variados, como pessoas que obtiveram prejuízos ao pagar mais de uma vez, ou que pagaram e não tiveram a prestação do serviço.

Percebendo o grande volume de pessoas e a grande possibilidade de, naquele momento, estarem tratando de alguém que poderia evadir com o dinheiro, a Polícia representou ao poder judiciário por algumas medidas cautelares, inclusive por medidas asseguratórias de valores. Foi solicitado o bloqueio de contas bancárias da empresa e da proprietária, além do bloqueio de um veículo registrado no nome da proprietária da empresa, como forma de resguardar direitos das vítimas.

Nesta semana, os policias foram procurados pelo advogado da proprietária, que apresentou ela na quarta-feira, na Delegacia, para prestar esclarecimentos. Segundo o delegado Cano, no depoimento, a mulher defendeu que os problemas financeiros se deveram a uma má gestão empresarial, que acabou contraindo dívidas. Segundo o que ela informa, o prejuízo se deve a uma excursão de um grande grupo de pessoas. Contudo, mesmo sabendo dos problemas financeiros, ela continuou oferecendo viagens para outras pessoas.

A Polícia Civil também observou que ela, mesmo com as dificuldades financeiras, fechou a empresa em Venâncio Aires, mudou para outro município e reabriu negócio em nome de um terceiro.

Esses fatos levaram a Polícia Civil a concluir que, mesmo que tenha havido má gestão, ela continuava a trabalhar, até transferindo a empresa para nomes de terceiros, assumindo assim o risco de produzir o resultado e dar prejuízos para outras pessoas, que acreditavam contratar algo sério. Isso tudo levou à conclusão que ela, no mínimo, assumiu o risco, induzindo as vítimas ao erro. A proprietária da empresa responderá pelo crime de estelionato.

Orientação

O delegado Felipe Staub Cano orienta que as pessoas lesadas a procurarem as providências legais, através de advogados e do poder judiciário. A polícia tomou essas medidas asseguratórias como garantia para que as vítimas fossem ressarcidas.

c