Rio Grande do Sul Set 27, 2017 Crédito: Governo do Rio Grande do Sul

Estado encaminha pedido para avaliar retirada de vacinação contra aftosa

O plano prevê que todas as metas do Ministério sejam atingidas até 2018 e que, em 2019 seja retirada a imunização

- Foto: Governo do Estado do Rio Grande do Sul

O governo do Estado vai solicitar, ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), uma auditoria para avaliar a execução das metas do Plano Nacional de Erradicação da Febre Aftosa e as ações que estão sendo implementadas no Plano Estadual elaborado no Rio Grande do Sul, pelo Serviço de Defesa Agropecuária da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Irrigação (Seapi).

O Ministério finalizou o Plano Estratégico do Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa, um cronograma de ações para os próximos dez anos que prevê a suspensão da imunização nos estados do Sul, a partir de 2023. O plano estadual prevê que todas as metas do Ministério sejam atingidas até 2018 e que, em 2019 seja retirada a imunização, dando ao estado o status de área livre de febre aftosa sem vacinação. O Paraná já fez a solicitação e está com auditoria marcada para o mês de janeiro de 2018.

A iniciativa tem o objetivo de reforçar a sanidade do rebanho do estado e ampliar a comercialização do produto gaúcho no mercado externo, uma vez que vários países só importam carnes e derivados de locais que são áreas livres de aftosa sem vacinação. Desde 2002, o Rio Grande do Sul tem o status de área livre de febre aftosa, mas com a vacinação.

c